top of page
ENG23_Template-FB_4-Edição-Prémio-NDAF_1640x924px.png
Fundo pinceladas cinza.jpg

Watch here

Captura de ecrã 2024-06-05, às 14.34.53.png

About the 4th edition

The New Dramaturgy Award for Female Authorship aims to promote, recognize and publicize female-authored dramaturgy in Portuguese and is aimed at all natural persons, of legal age, who identify with the female gender, whether cisgender or transgender.

 

This award aims to promote, recognize and disseminate drama written by women in Portuguese. The competition is open to all natural persons, of legal age, who identify with the female gender, whether cisgender or transgender, and who want to propose an unprecedented and never-before-performed dramaturgical work.

After receiving the applications and analyzing them by the jury - Ana Bigotte Vieira, Cucha Carvalheiro and Jorge Palinhos - three finalists will be selected and will have the opportunity to participate in a mentoring process and eventual improvement of the texts, with the support of each member of the jury.

In October we will find out about the winning work, which will be awarded a monetary value of €750 and included in the program of the 8th season of the Festim of readings of theater texts - This night screams, which takes place from October to December 2024 , in addition to being published as a book, through a partnership with the publisher Douda Correria.

In its first three editions, the award received more than 350 applications from several Portuguese-speaking countries, with the 2023 edition closing with a flourish, with the award ceremony and reading of the text, at the Calouste Gulbenkian Foundation, in early December.

Sofia Perpétua won the 3rd edition of the New Dramaturgy Award for Female Authorship, with the play "Tanque". Maria Giulia Pinheiro was the winner of the 2nd edition, with the work “ Isso não é Relevante ”, in 2022 and Lara Mesquita won the 1st edition, with “ Nunca que Segundo ”, in 2021.

As finalistas

As candidaturas estiveram abertas até 31 de março, tendo sido recebidas 86 obras consideradas elegíveis.Após o período de análise pelo júri - Ana Bigotte Vieira, Cucha Carvalheiro e Jorge Palinhos -foram selecionadas três finalistas que vão agora ter a oportunidade de participar num processo de mentoria e eventual aprimoramento dos textos, com o acompanhamento de cada um dos elementos do júri, até final de agosto.

As 3 finalistas selecionadas pelo júri foram:

finalistas

Sobre as obras finalistas o júri escreveu:

"Das Cinzas ou das Brasas é um texto tenso, que procura dar conta da fluidez das relações humanas de hoje, determinadas pela precariedade, pela efemeridade, que mergulha nos interstícios das relações humanas na atualidade, de forte mediação informática, que oscila entre a impessoalidade dos encontros fortuitos e o confessionalismo perante as massas, entre o cinismo desesperado e a inocência comercial, entre o banal interminável e o místico fugaz, na busca de um teatro que dê conta que somos todos bodes expiatórios sacrificados em honra de nenhum deus."

“Em Lacuna, peça escrita como que em jeito de homenagem a uma avó esquizofrénica, a falta de palavras serve como mecanismo teatral para dar a ver uma ausência que por vezes é suprimida em cena de maneira intuitiva, contrariando o dispositivo racional da branquitude, o mesmo que, no limite, molda a vida da avó, motivando (possivelmente) a sua doença. Lacuna é então, e entre outras coisas, um longo poema-reflexão sobre uma avó negra vista aos olhos da infância e teorizada hoje, à luz de um presente que não se quer passado, e, como tal, necessariamente anti-racista. Para que possa haver futuro.”

 

“A autora de Papel Passado cria uma ficção em torno de duas personagens que nos confrontam com a violência, a repressão política, social e até sexual no tempo da ditadura militar brasileira. Numa época como esta em que vivemos, em que a extrema-direita ganha terreno na Europa e regimes autoritários  grassam por todo o globo, fomos sensíveis à pertinência de um tema que muitos querem branquear e os mais incautos desconhecem.”

Em outubro ficaremos a conhecer a obra vencedora, que será premiada com o valor pecuniário de 750€ e incluída na programação da 8ª temporada do Festim de leituras de textos de teatro - Esta noite grita-se, que se realiza de outubro a dezembro de 2024, para além ser editada em livro, através da parceria com a editora Douda Correria.

No total das quatro edições do Prémio foram recebidas pela organização mais de 430 candidaturas provenientes de vários países de língua portuguesa. Na presente edição, cerca de 60% dos textos eram de autoras de nacionalidade portuguesa, sendo a brasileira a segunda mais representada com 34%.

Sofia Perpétua venceu a 3ª edição do Prémio Nova Dramaturgia de Autoria Feminina, com a peça "Tanque". Maria Giulia Pinheiro foi a vencedora da 2ª edição, com a obra “Isso não é Relevante”, em 2022 e Lara Mesquita venceu a 1ª edição, com “Sempre que Acordo”, em 2021.

Conheça o nosso Júri

Nesta 4º edição do Prémio Nova Dramaturgia de Autoria Feminina temos o prazer de ter connosco três personalidades com um reconhecido percurso na área da dramaturgia. Conheça um pouco mais sobre cada um deles, lendo as respetivas biografias.

Fundo pinceladas cinza.jpg

The New Dramaturgy Award for Female Authorship aims to promote, recognize and publicize female-authored dramaturgy in Portuguese and is aimed at all natural persons, of legal age, who identify with the female gender, whether cisgender or transgender.

 

This award aims to promote, recognize and disseminate drama written by women in Portuguese. The competition is open to all natural persons, of legal age, who identify as female, whether cisgender or transgender, and who want to propose a  Unpublished and never performed dramaturgical work.

According to the International Center for Women Playwrights, an NGO dedicated to encouraging the work of women playwrights, 70% of the plays produced annually in the world are by men. When it comes to publishing works, the number drops even further - in Portugal we estimate that less than 15% of the texts edited are by women. This panorama in no way favors the diversity and richness of artistic production, hindering the innovation brought by the female gaze of female creators who, without adequate stimulus, continue to be far from the circuits necessary for the dissemination of their works. In the artistic direction of Esta Noite Scream, we have had difficulty balancing the authorial genre because the choice options are very limited when it comes to female playwrights. Only by encouraging creation will it be possible to change this reality and ensure that more women artists take risks and publish their work. 

 

Here are some useful links for those who want to delve a little deeper into this topic:

https://www.womenarts.org/not-even/not-even-impact-of-playwrights-gender/

https://lafpi.com/the-facts/#10

https://playbill.com/article/only-1-in-5-plays-written-by-women-this-season-down-from-last-year-com-363340

https://www.womenplaywrights.org/The-Challenge

 

 

Some relevant data

To find out more about this initiative, see the pages of Esta noite grita-se 20232022 and 2021

Companhia Cepa Torta and the Festival of interpreted readings of theater texts -  Esta noite grita-se are supported by the Portuguese Republic – Culture / Directorate-General for the Arts

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Youtube Icon
bottom of page